Baz Bus, o melhor transporte para quem viaja sozinha pela África do Sul

estrada com montanhas ao fundo - viajar sozinha africa do sul

Baz Bus, o melhor transporte para quem viaja sozinha pela África do Sul

A África do Sul é um país impressionante e que me ganhou logo no primeiro dia, mas tem alguns probleminhas típicos das nações em desenvolvimento (que nós brasileiros conhecemos muito bem) que podem dificultar a vida de quem viaja sozinha. Transporte público é um deles. Assim como no Brasil não é fácil percorrer de ônibus as praias entre Natal e João Pessoa, é meio complicado para quem não está de carro visitar a Garden Route (uma rota no litoral da África do Sul) e outros destinos.

Com o intuito de ajudar a mochilação no país, em 1995 surgiu o Baz Bus, um ônibus turístico que liga Joanesburgo, Cape Town e várias cidades turísticas ao longo da do país. O funcionamento é simples: você compra o ticket, reserva seu assento, pega o ônibus, desce na cidade do seu interesse, passa quantos dias quiser lá e pega um outro Baz Bus para seguir viagem. Tipo aqueles ônibus hop-on-hop-off das cidades turísticas, porém percorrendo um país inteiro.

Por onde passa e quanto custa

O Baz Bus percorre três rotas (que dá para ver melhor nesse mapa) e oferece dois tipos de ticket:

  • O Hop-on Hop-off: onde você escolhe a rota uma das três rotas e pode fazer quantas paradas quiser, sem limite de tempo (você pode demorar o tempo que quiser para percorrer a rota). O ticket pode ser one way (só ida) ou return (ida e volta).
  • O Travel Pass: onde você pode fazer quantas paradas quiser em qualquer rota do Baz Bus e em qualquer direção, dentro do período de tempo que é válido o bilhete (7, 14 ou 21 dias consecutivos).

O ticket custa a partir de 2700 ZAR (R$ 730), no caso do passe de 7 dias. Eu comprei o  ticket Hop-on Hop-off de Port Elizabeth para Cape Town, que originalmente custava 2.999 ZAR (R$ 811) mas estava em promoção por 2.390 ZAR (R$ 645). Você encontra mais informações sobre valores e rotas no site do Baz Bus.

Como funciona

O “ônibus mochileiro” passa por mais de 40 cidades na África do Sul e em cada uma há alguns alojamentos parceiros (a maioria são hostels, mas tem também hotéis e lodges). Se você estiver em um desses alojamentos, o Baz Bus te pega ou te deixa na porta. Na porta. Você não precisa andar nem cinco metros. Veja aqui a lista de acomodações.

Placa "welcome to Sunflower Stop, we are a baz bus stop"

Os alojamentos parceiros têm essa plaquinha aqui.

Como comprar

Você compra o bilhete (no site ou em pontos de venda físicos na África do Sul), recebe um código de reserva e daí entra em contato com o Baz Bus (por e-mail, telefone ou SMS) reservado seu assento. Tem que informar quais cidades você vai parar, em quais dias e qual alojamento irá ficar.

Dica importante: Você precisa comprar o ticket e depois reservar seu assento. Mudou de planos depois que comprou o ticket? Não tem problema. Dá pra mudar o roteiro, com pelo menos 72h de antecedência, sem custo adicional.

O Baz Bus é vantagem para quem:

  • Não sabe ou não quer dirigir

O “ônibus mochileiro” é uma ótima opção para quem tem receio de dirigir em mão inglesa, não quer tirar a habilitação internacional ou simplesmente não tá a fim de pegar no volante. Sem carro (próprio ou alugado) a única maneira de visitar certas áreas da África do Sul (como a Garden Route, por exemplo) de uma maneira econômica é o Baz Bus. Como eu disse, transporte público não é o forte do país.

  • Está sozinha(o) e quer economizar

O Baz Bus é mais barato que alugar um carro sozinho e do que contratar um tour.

Para quem viaja sozinha é ótimo

  • Quer praticidade sem gastar muito

O Baz Bus economiza o trabalho de ter que procurar transporte (caso tenha) entre um destino e outro, pesquisar como ir do alojamento até a rodoviária e depois da rodoviária até o alojamento na cidade seguinte. O ônibus mochileiro te livra de todos esses perrengues – e é mais barato que um tour pela mesma região.

  • Quer comodidade mas não é super exigente

Eu vi alguns reviews dizendo que o ônibus não tinha ar-condicionado, mas todos que eu peguei tinha. Além disso, também tem wi-fi (que funciona), porém, não espere um ônibus leito super confortável. Apesar do nome ser Baz BUS o veículo é uma van: a cadeira não reclina e os assentos não são muito espaçosos.

Outro ponto positivo é que o Baz Bus é super pontual. Dificilmente atrasa e muitas vezes chega até antes, mas nesse caso, eles esperam o passageiro

O Baz não é vantagem para quem:

  • Está com pressa

Não espere uma frequência igual aos ônibus turísticos hop-on-hop-off das cidades (que passam a cada meia hora). Em algumas rotas do Baz Bus há um ônibus por dia e em outras ele passa só 4x por semana. Para quem quer fazer o roteiro rapidinho,  visitando duas ou três cidades a cada dia, o Baz Bus não é uma boa opção. Melhor alugar um carro.

  • Quer flexibilidade no roteiro

Como você precisa reservar (com pelo menos 72h de antecedência) em quais cidades você vai tomar o ônibus e as datas, o roteiro fica meio amarrado. Se você chegar em um lugar, descobrir que tem muita coisa legal para fazer e quiser passar mais um dia, não rola.

O carro tem muito mais flexibilidade (meio obvio isso, né?), você chega e vai embora quando quiser das cidades e não precisa se prender pelo horário que o ônibus sai.

  • Vai fazer um trecho entre duas cidades, sem paradas intermediárias

A vantagem do Baz Buz é ir parando de cidade em cidade ao longo da rota, como um tour. Se o seu objetivo é apenas se deslocar de um ponto a outro, é mais rápido e mais barato pegar um aviao ou um ônibus de linha.

Por exemplo, um voo de Joanesburgo a Cape Town custa a partir de 700 rands (R$ 190), enquanto o mesmo trecho pelo Baz Bus custa 5.620 rands (R$ 1500). Comprando com antecedência, um voo de Port Elizabeth a Cape Town, custa a partir de 700 rands (com menos prazo dá para encontrar tickets a partir de 1000 rands – R$ 270) enquanto o mesmo trecho pelo Baz Bus custa a partir de 2.390 rands (R$ 645). 

  • Está viajando em dupla ou grupo e quer economizar

A partir de duas pessoas é mais barato alugar um carro (considerando o aluguel, gasolina e pedágios) que comprar dois tickets do Baz Bus.

  • Quer ir de carro até os pontos turísticos

O Baz Bus pega e deixa os passageiros nos alojamentos de cada cidade – ele não passa nas atracões turísticas de cada lugar. Ou seja, depois de chegar na cidade é preciso se deslocar e muitas vinícolas, parques nacionais e praias ficam um pouco longe do centro. Nao rola ir à pé, Uber é inexistente nas pequenas cidades e transporte público nem se fala. O jeito então é pegar um transfer ou tour.

Criancas brincando no mar e kayaks, montanhas ao fundo

Para ir até o Parque Tsitsikamma eu tive que tomar um transfer desde a vila de Storms River

  • Para quem quer um transporte até o Kruger Park

O Kruger Park (famoso pelos safáris) não está incluído nas rotas do Baz Bus, para chegar até lá é necessário contratar um tour ou ir de carro (próprio ou alugado)

Um outro ponto é que, embora a rota do ônibus mochileiro seja BEM abrangente, ele não passa em todas as cidades do país (óbvio). Dependendo do seu roteiro algo pode ficar de fora.

Porque o Baz Bus é legal para quem está viajando sozinha

  • É mais barato que alugar um carro sozinha
  • O ônibus pega e deixa os passageiros na porta do hostel – mais seguro impossível

hostel no caminho do baz bus - africa do sul

Em Port Elizabeth a gente ficou hospedada no Lungile Backpackers e o Baz Bus te deixa praticamente na dentro do quarto hahahaha

  • Você vai conhecer um monte de outros mochileiros pelo caminho.
  • Minimiza bastante a chance de alguma coisa dar errado. Você não precisa se preocupar se o carro quebrar, se o seu transporte chega tarde da noite como você vai da rodoviária até o hostel, se tem ônibus entre as cidades A e B, nada disso.

 

Minha experiência com o Baz Bus

Eu achei o serviço uma boa opção, especialmente para quem está sozinha. As principais vantagens foram a segurança e não ter perrengue (de o carro quebrar, chegar na rodoviária tarde da noite e não achar transporte pro alojamento, essas coisas).

O principal ponto negativo na minha opinião é ter que tomar um tour desde o hostel até as atracões turísticas que ficam longe do centro. Por exemplo, para visitar o Parque Tsitsikamma eu tive que tomar um transfer desde a vila de Storms River. De carro seria mais barato e mais prático. Em Port Elizabeth eu deixei de visitar o SAMREC (o centro de proteção e reabilitação de pinguins) porque eu não tinha como ir. A partir de duas pessoas eu acho mais negócio alugar um carro.

Aviso: esse post não tem nenhuma relação comercial com o Baz Bus. Eu paguei pelo meu ticket e não recebi nenhum desconto, benefício ou pagamento por essa publicação. 

 

 

2 Comments
  • Ruth Lima
    Posted at 13:34h, 24 abril Responder

    Excelente post! Parabéns!

    • Mila Pereira
      Posted at 19:42h, 02 maio Responder

      Obrigadaaa 😉

Post A Comment