Como ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens: 12 dicas para começar já

mulher digitando no laptop em um café - como ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens

Como ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens: 12 dicas para começar já

Ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens é o sonho de muita gente, mas as pessoas acham que ou é muito fácil (é só montar um blog e as empresas vão te ligar para fazer publipost) ou é impossível (ninguém ganha dinheiro de verdade com esse tipo de trabalho e só pessoas muito ricas vivem viajando). Nem uma coisa nem outra.

Ser jornalista, blogueira ou redatora de viagens tem os desafios de qualquer outra profissão independente: a gente precisa se dedicar ao trabalho, um pouco de sorte ajuda mas dá para depender dela, tem que entender como funciona o mercado e as coisas vão melhorando conforme a gente ganha experiência na profissão.

Eu sou jornalista, há quase seis anos trabalho com conteúdo digital: tenho esse blog, escrevo para sites e revistas sobre viagens e presto assessoria sobre conteúdo digital. Não nasci rica e vou contar como eu pago as contas com meu trabalho de freelancer, sem fórmula mágica nem vida perfeita (como tudo nesse blog). Acompanhe:

1) Não existe um caminho profissional único

Não existe uma só maneira de ganhar dinheiro com conteúdo sobre viagens. Existem vários trabalhos que você pode fazer: ter um blog, pode vender suas matérias para sites, jornais e revistas, prestar assessoria para empresas e diversos temas, entre outras coisas.

print do site da Hostelworld Brasil

Posts meus no blog da Hostelworld. Vender conteúdo para empresas de viagens é uma das minhas fontes de renda

2) Não tente trabalhar com tudo

Um erro bem comum de quem tá começando é querer atirar para todos os lados na hora de buscar freela: oferecer texto para revistas, tentar trabalhos de edição de vídeo, buscar empresas que queiram um tradutor, montar uma mentoria on-line, ser influencer no Youtube, Instagram, Tik Tok e ainda ter um podcast. 

É normal ficar empolgado com tantas possibilidades – e angustiado com a falta de dinheiro – mas vai por mim, não funciona. Montar um portfólio e prospectar clientes leva tempo e se você está cada vez buscando trabalho em uma área diferente fica ainda mais difícil.

3) Escolha uma área de atuação e foque nela 

Dentre todas essas possibilidades aí, escolha algumas coisas que você é boa e concentre seus esforços. Busque trabalho nessa área e monte um bom portfólio. Quanto mais experiência você tem em um segmento, mais provável é que você consiga jobs que pagam bem.   

No meu caso, eu me especializei no nicho de escrita, SEO e conteúdo de viagem. Eu já trabalhava como jornalista, gosto de escrever e decidi focar nisso. Hoje, a maior parte do que eu ganho vem de vender matérias e produzir conteúdo digital para empresas. Por outro lado, eu não manjo nada de vídeo, então ter um canal no YouTube ou vender material audiovisual nunca esteve nos meus planos.

4) Tenha mais de uma fonte de renda (dentro do seu nicho)

Sendo bem realista, o ramo de conteúdo de viagens em geral é mal remunerado e a vida de freelancer é instável (às vezes tem trabalho, às vezes não tem). É difícil ganhar a vida só vendendo matéria, só com Instagram e por aí vai, é melhor não colocar todos os ovos na mesma cesta, então, tenha mais de uma fonte de renda.

Todas as nômades digitais que eu conheço se dedicam a mais de uma coisa nesse ramo. No meu caso, eu tenho o blog, presto assessoria a empresas sobre conteúdo digital e eu vendo matérias para sites e revistas de turismo. Isso é diferente de atirar para todos os lados, é ter duas ou três fontes de renda para quando uma vai mal, você recorrer à outra.

duas pessoas de bicicleta em uma estrada na selva - como ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens

Estrada da Morte, na Bolívia. Ter um só opção de caminho pode ser perigoso

4) Não tenha medo de recomeçar se der errado

Eu tenho um “case de insucesso” relacionado ao item anterior. No início, eu resolvi ser repórter freelancer e ganhar a vida vendendo matérias. Essa era a minha única fonte de renda e deu tudo errado (por vários motivos que eu conto neste post sobre meus cinco anos como nômade digital). Tomar decisões erradas na vida profissional é normal, quantas pessoas já começaram um emprego e não gostaram? Ou mudaram de curso na faculdade, trocaram de área, mudaram de planos? 

Pessoas tomam decisões erradas em qualquer profissão não iria ser diferente com quem ganha dinheiro escrevendo sobre viagens. O importante é não desistir. Se você é formada em Direito, começou a trabalhar com advogada e viu que não é a sua, você joga o diploma no lixo? Não, né? Você vai atrás de outra área dentro da sua profissão. Com viagens é a mesma coisa. Se realmente você quer continuar trabalhando nesse ramo, o lance é recalcular a rota e tentar outro caminho

5) Seja organizada com grana e tenha uma reserva

Se é complicado controlar as finanças quando a gente recebe um salário fixo, imagina sendo freelancer! Mas de você não quer ter um emprego fixo, bater ponto e ter só um mês de férias por ano, tem que aprender a lidar com a instabilidade. Manter uma reserva financeira é a dica mais importante desse post, pois na vida de freela às vezes aparece pouco trabalho, algo dá errado, pagamento atrasa… 

cofre de prata - como ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens

Cofre de prata para guardar moedas de prata (!) em um museu de Potosí, na Bolívia, que eu visitei em 2015

Quando eu tentei ser repórter e não deu certo, em 2015, foi graças às minhas economias que eu pude continuar viajando e buscando freelas em outra área de atuação (eu conto isso também lá no post). Agora em 2020, com a crise do coronavírus, todos os contratos que eu tinha de produção de conteúdo sobre viagens foram suspensos. Mais uma vez, fui salva pelas minhas economias. Outras coisas inesperadas podem acontecer e ter uma reserva é o que permite que a gente pague as contas enquanto busca novas fontes de renda.

6) Aprenda que nem todos os freelas são mega divertidos

Nenhum trabalho no mundo é feito só de momentos legais. Trabalhar com viagens proporciona muitas coisas maravilhosas como conhecer lugares incríveis, entrevistar gente interessante e ter experiências memoráveis. Às vezes rolam esses freelas divertidos e às vezes trabalhos mais chatinhos, como revisão de texto, produção de conteúdo para empresas, tradução, etc. Também tem tem cliente chato (que é ainda pior), rola uns stresses e tem trampo que eu peço por favor que acabe logo. Nada é fantástico 100% do tempo. 

7) Tenha disciplina para trabalhar enquanto viaja

Isso é meio óbvio, mas um erro muito comum de quem começa é confundir viagem com férias.  Quem ganha dinheiro escrevendo sobre viagens tem que trabalhar quando está na estrada, nem que seja levantando dados e anotando informações. 

Para resolver esse impasse, viaje devagar e divida o seu tempo. Não rola fazer uma eurotrip de sete países em 15 dias e ainda cumprir com os deveres profissionais. Tem o momento de curtir, de conhecer as coisas e tem o momento de parar e trabalhar, pois é isso que vai pagar seus boletos. Na minha última viagem, eu passei 10 dias em Buenos Aires. É muito tempo, para um viajante de férias, mas houve dias em que eu não fiz nada de turístico: acordei, trabalhei o dia inteiro e fui dormir (no máximo saí pra jantar). 

Em nenhuma profissão a gente ganha dinheiro sem trabalhar e se você sempre deixa o trabalho para depois da viagem, em algum momento o dinheiro vai faltar

8) Profissionalize-se e estude

Essa é outra dica muito importante. Hoje em dia existem milhares de blogs, canais do YouTube sobre viagem, gente oferecendo conteúdo para revistas esites, pessoas que falam outros idiomas, que entendem de SEO, de WordPress… Se você não se profissionalizar e oferecer um bom serviço, não vai sobreviver nesse mercado

Biblioteca El Ateneo, em Buenos Aires. Estude e procure aprimorar suas habilidades

A gente tende a achar que conteúdo de viagem é sempre produzido de maneira “descompromissada”, mas em geral um bom texto, ou foto, teve muito trabalho por trás. De novo, não precisa entender de foto, vídeo, idiomas, texto e podcast, tudo ao mesmo tempo, mas você precisa ser bom no nicho que você escolheu. Faça cursos na sua área, converse com outros profissionais, participe de fóruns e, se puder, invista em equipamentos. 

Quer aprender a escrever sobre viagens? Veja esse post sobre cursos grátis de escrita e uma lista de livros e blogs de viagem muito bons.

9) Saiba ganhar dinheiro com um blog de viagens

Um blog é uma fonte de renda para muitos que trabalham com conteúdo sobre viagens. Resumindo bastante, são três maneiras de ganhar dinheiro: programa de afiliados (links para compta de passagens aéreas, seguros, onde o blogueiro ganha uma comissão), publiposts (a empresa paga para que você faça um post) e anúncios (um banner de propaganda no seu site). Nos três casos, a parte mais difícil é conseguir ter um fluxo grande de visitas no seu site, gerando visualização dos anúncios e compras nos links de afiliados.

10) Saiba ganhar dinheiro vendendo matérias

Não é muito diferente do trabalho de outros profissionais independentes (designers, tradutores, programadores): o trabalho de redator freelancer começa com a prospecção de possíveis clientes, você envia uma proposta (no caso, uma sugestão de pauta) e vai montando uma carteira de clientes. A tendência é que quanto melhor for o seu portfólio e mais contatos você tiver (isso se consegue com o tempo), você vai conseguir freelas melhores.  

Confira esse post com dicas de como se tornar um redator freelancer e ganhar dinheiro com seus textos de viagem

Dê uma olhada nessa masterclass

Esse mês eu tive um bate-papo com pessoal da Worldpackers sobre como ganhar dinheiro com blog de viagens e vendendo matérias. O conteúdo está disponível no Youtube

Ganhar dinheiro escrevendo sobre viagens, ser freelancer e nômade digital não é fácil. A gente aprendeu a estudar-ter-um-emprego-salário-férias e sair desse padrão exige uma mudança de mentalidade. Mas vale muito a pena. Se esse é o seu sonho, corra atrás dele. Eu amo a minha profissão e não trocaria meu estilo de vida por nada: trabalho com o que eu gosto e ainda posso conhecer o mundo. A vida de ninguém é perfeita, nem a minha. Mas vale a pena cada perrengue. 

No Comments

Post A Comment