3 livros e 3 filmes imperdíveis sobre a África do Sul

mulher diante de estante de livros / filmes africa do sul

3 livros e 3 filmes imperdíveis sobre a África do Sul

Dentro de um mês estou de partida para a África do Sul e já estou na maratona de livros e filmes sobre o país. Sim, eu sou dessas que antes de viajar faz o dever de casa (#nerdproud). Adoro ver filme, documentário, séries e ler livros sobre o lugar antes ou durante a viagem, acho que deixa a experiência muito mais profunda.

Quando eu fui pra Bolívia eu estava relendo Veias Abertas da América Latina e foi muito doido visitar Potosi (a maior cidade mineira do país, que enriqueceu às custas do trabalho escravo dos indígenas) dias depois de ler essa parte do livro. Uma semana antes da minha viagem para o México, minha mãe apareceu com “Diego e Frida” uma biografia do casal escrita pelo Prêmio Nobel de Literatura J.M.G Le Clézio. Minha visita à Casa Azul (Museu Frida Kahlo), onde os dois viveram na Cidade do México, foi muito mais “viva”.

Compartilho o os livros e filmes que eu recomendo sobre a África do Sul.

 

Filme “Invictus” (2009)

Provavelmente o longa mais famoso sobre a África do Sul, Invictus trouxe Morgan Freeman no papel de Nelson Mandela. A trama se passa em 1995, ano que acabou o apartheid. O então recém-eleito presidente Mandela procura unir o país (ainda extremamente dividido racial e economicamente) por meio do rugby (que lá é tão paixão nacional como para nós é o futebol). Para isso conta com a ajuda de François Pienaar, capitão da equipe sul-africana), interpretado por Matt Damon. Ambos atores foram indicados ao Oscar por suas atuações.

Além de imperdível para quem quer visitar Joanesburgo, o filme é tão emocionante que você não vai desgrudar da tela um segundo.

 

Filme “Mandela – A Luta pela Liberdade” (2007)

O longa conta a relação do líder sul-africano com James Gregory, seu carcereiro em boa parte dos 27 anos que ele foi preso político na cadeia de segurança máxima de Robben Island, perto de Joanesburgo. Gregory é branco e inicialmente considera justa e normal a violência com que a população negra é tratada no regime do apartheid. Com a convivência com Mandela, ele passa a questionar suas convicções racistas e o regime pelo qual está a serviço.
A antiga prisão, localizada em uma ilha perto de Johanesburgo, hoje é um museu sobre a resistência do povo negro ao regime se segregação racial e está aberto a visitação.

 

Filme “Sarafina! O Som da Liberdade” (1992)

Conta o regime do apartheid, que geralmente conhecemos pelos passos de personagens históricos como Nelson Mandela e Desmond Tutu, a partir da ótica de “gente normal”. No filme, Sarafina, que sonha ser rica e famosa, começa a adquirir consciência política com os ensinamentos de sua professora de história (interpretada por Whoopi Goldberg). Ela e seus colegas organizam um levante (que faz alusão à Revolta de Soweto, quando estudantes se opõem ao uso do afrikaans como idioma oficial nas escolas). A atuação da Whoopi Goldberg é encantadora como sempre. Quem nao gosta de musicais pode achar o filme meio chato.

 

Livro “Longa Caminhada Até a Liberdade”, de Nelson Mandela (1994)

Existem dezenas e dezenas de livros sobre o apartheid, sobre Mandela, biografias de pessoas que acompanharam a sua trajetória, etc e tal. Eu escolhi esse porque é uma autobiografia, escrita pelo próprio líder africano (em grande parte nos 27 anos que esteve preso em Robben Island). Conta sua infância e juventude, os anos em cárcere e sua ascensão política depois da queda do apartheid. Para além da história, o estilo de escrita de Mandela é cativante (quero abraçá-lo todo o tempo) e engraçado.
O livro foi adaptado para cinema, dando origem ao longa homônimo em 2013. Para conhecer mais da história é interessante mas como obra cinematográfica não impressiona muito.

 

Livro “Desonra” de J. M. Coetzee (1999)

Esse é o próximo da lista de leituras! Considerado o melhor romance de J. M. Coetzee, ganhou o Booker Prize (o prêmio literário mais relevante da Inglaterra) no ano da sua publicação. O autor sul-africano ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 2003. O livro conta a história de um professor universitário que perde tudo – seu emprego, sua estabilidade emocional, seus sonhos profissionais – depois de ter um caso com uma aluna, ser descoberto e acusado de assédio. Ele se exila na fazenda da filha, que sofre um ataque no qual ela é estuprada e engravida e ele é violentamente agredido. Segundo resenhas, o livro conta de uma maneira singular as relações tempestuosas entre as classes, entre homem e mulher, entre as raças em uma África do Sul pós-apartheid. Já quero ler.

 

Livro “Cry, the Beloved Country”, de Alan Paton (1948)

Considerado o mais famoso e mais importante livro sul-africano, “Cry, the Beloved Country” infelizmente ainda não tem tradução para o português. O romance conta a emocionante história do reverendo negro Stephen Kumalo em busca do seu filho Absalom, que desapareceu após viajar a Joanesburgo – e descobre que Absalom está preso por ter matado um homem branco. O romance é magistral em capturar emoções extremas e em mostrar a brutalidade do regime do apartheid.

O livro teve duas adaptações para o cinema, em 1951 e 1955.

 

Você gosta de ler livros e ver filmes antes ou depois de viajar para um destino? Comenta aí alguma obra que voce achou legal!

No Comments

Post A Comment